segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Equimose e Hematoma

Equimose ---> é uma infiltração de sangue na malha dos tecidos. Surge com a rotura de capilares. As que surgem à distância resultam da migração do sangue extravasado ou por aumento da pressão venosa por compressão das veias de drenagem, por exemplo, petéquias em conjuntivas oculares no estrangulamento, enforcamento.

Tipos de equimose:

- Petéquias - cabeça de alfinete - desaparecem mais rápido que as demais.
- Sugilação - confluência de numerosas lesões puntiformes numa área bem definida - grãos de areia.
- Sufusão - formada por uma "hemorragia" mais extensa - mantém o centro violáceo e as mudanças de cor ocorrem na periferia.
- Equimoses espontâneas - não se relacionam às contusões, nem possuem local preferencial. Têm distribuição simétrica no corpo, acompanhadas por outros sinais de doenças hemáticas.
- Equimoses post-mortem - surgem nas regiões de livores intensos.

Evolução cromática da equimose - deve-se à progressiva reabsorção da "hemorragia" pela acção dos macrófagos.

Hematoma ---> define-se como uma colecção (ou acúmulo) de sangue num órgão ou tecido, geralmente bem localizado e que pode dever-se a traumatismo, alterações hematológicas ou outras causas. Também conhecido como nódoa negra.

Pode ser detectável através do exame clínico ou por meios imagiológicos. Na maioria dos casos a situação reverte espontaneamente. Mas em casos de hematomas de grandes dimensões ou localizados em certos órgãos (no cérebro, por exemplo) a drenagem cirúrgica torna-se obrigatória.

3 comentários: